Técnicas Corporais

Segundo Lowen e Reich, o corpo e a mente são funcionalmente idênticos, ou seja, tudo o que acontece na mente reflete-se no corpo e vice-versa. Através de vários estudos podemos dizer que esta informação é verdadeira. Observamos que um estado de raiva pode provocar uma cefaléia, um estado de ansiedade ou medo pode ocasionar uma diarréia. Assim como uma pessoa que sofre um acidente e experimenta um estado prolongado de muita dor pode desenvolver uma alteração de humor. Podemos afirmar que o corpo interfere na mente e a mente interfere no corpo. Quando tratamos o corpo, tratamos a mente e vice-versa.
 
A criança quando nasce tem no corpo o seu primeiro modo de apreender informações no mundo. É através da satisfação de suas necessidades que irá desenvolver o senso futuro de segurança e equilíbrio. O bebê sente-se satisfeito quando são mantidas condições de higiene, acolhimento, apreciação, carinho e alimentação. Esses cuidados darão origem a uma pessoa íntegra, ou caso faltem podem gerar um indivíduo insatisfeito, inseguro e defensivo em relação à vida. Todas essas experiências ficam guardadas em nossos registros biopsíquicos e futuramente, ajudam a formar alguns padrões de postura, conduta e comportamento.
 
Vivemos em uma sociedade que distorce em vários aspectos a percepção corpórea. O corpo é privilegiado enquanto objeto de exibição estética desde os tempos da Grécia, mas a maioria das pessoas comuns não consegue chegar aos padrões impostos e sentem-se incomodadas dentro de seus próprios corpos. Por outro lado, durante um grande período a célebre frase – “Penso, logo existo” – foi tida como uma máxima. Houve a valorização por muito tempo dos cuidados com o intelecto em detrimento dos cuidados com o corpo e os sentimentos. Até o século XIX o corpo era tido como um condutor à impureza e aos pecados pelas religiões judaico-cristãs. Passou-se da vergonha e falta de cuidado com o corpo para a idolatria da forma física “perfeita”. Ainda hoje a vivência do corpo não é incentivada de uma forma equilibrada.
 
O ritmo de vida acelerado, as pressões culturais, as cobranças profissionais e os múltiplos papéis que são desempenhados cotidianamente fazem com que a maioria das pessoas apresente áreas de tensões psicofísicas e muitas vezes até problemas psicossomáticos. Podemos entender como tensões psicofísicas desde uma preocupação/agitação mental até as dores causadas por enrijecimento muscular tão comum na vida moderna. Vivenciar um momento de estresse pode ser muito produtivo, pois a pessoa experimenta uma alta hormonal que leva a mobilização maior de energia e a percepção de novos caminhos para resolver a situação desencadeante. No entanto, quando a situação estressante é mantida pode levar ao desgaste porque todos os recursos são mobilizados ao máximo sem que haja uma pausa para recuperação. Esse desgaste pode se traduzir de diferentes formas, desde uma leve indisposição ou falta de vontade até algo mais grave como um infarto.
 
Toda experiência, através do sistema nervoso central, transforma-se em memória celular. Quando esta é negativa gera contração e aumento de tensão muscular. Assim como os animais nos preparamos para atacar ou fugir. A tensão continuada que tem inicialmente o objetivo de defesa e proteção do indivíduo passa a atuar diminuindo gradualmente a auto-percepção, a espontaneidade nos relacionamentos, a profundidade nos sentimentos e gera crescentes dificuldades para uma respiração plena e profunda. Nesta situação a energia vital já não circula como deveria o que rouba do indivíduo uma vida intensa, plena e saudável.
 
Há técnicas envolvendo o toque, a respiração e o relaxamento que auxiliam o indivíduo em seu auto-conhecimento e reequilíbrio. Na Clínica Psicológica Ceres oferecemos profissionais especializados na utilização de algumas dessas técnicas corporais que podem auxiliá-lo em seu processo de crescimento pessoal.
 
São elas:
 
• Relaxamento
 
Enquanto estamos pensando e nos movimentando todas as conexões entre o cérebro e o corpo estão ativas, estamos em estado de alerta. Estar sempre em estado de atenção pode gerar uma desarmonia em nosso ritmo interno. O relaxamento proporciona o retorno ao estado de equilíbrio.
Relaxar é reduzir drasticamente a atividade muscular, física e psíquica, através de um ato consciente e dirigido.

Existem muitos exercícios de relaxamento, desde os mais curtos e simples até os mais longos e complexos. Todos eles trazem benefícios porque minimizam o estresse, tensão muscular, fadiga física e mental. Após o relaxamento percebe-se um revigoramento do corpo e da mente, a ansiedade e a agitação são diminuídas e a sensação de paz e integridade aumentam.
 
• Calatonia
 
O verbo grego khalaó significa relaxamento, alimentação, afastar-se do estado de fúria, violência e ira, abrir a porta, deixar ir, retirar todos os véus dos olhos e algumas outras expressões. Calatonia é a técnica que abre os caminhos para atingir esse objetivo.

A calatonia é uma técnica desenvolvida durante a segunda guerra mundial.  Principalmente em pacientes amputados era muito comum queixa de membros fantasma, tensões musculares severas, reações compulsivas, depressivas e agressivas, assim como abalo nervoso. Percebeu-se que a relação interpessoal, assim como manipulações suaves nas extremidades do corpo e na nuca produzia descontração muscular e alteração do estado de ânimo destas pessoas. Nos próximos três anos a mesma técnica foi utilizada na Alemanha em tratamentos neuropsicológicos e psiquiátricos. Esta técnica foi trazida para o Brasil por Pethö Sandor sendo publicada, pela primeira vez, em 1974.

A técnica consiste em estímulos suaves e constantes nas extremidades dos pés, das mãos, pernas, rosto e pescoço. Utiliza a sensibilização cutânea possibilitando uma experiência multisensorial e relaxante.
A aplicação da técnica é indicada em casos de clientes com insônia, baixa auto-estima, depressão, angústia, ansiedade, tensão física e mental, etc.

A calatonia possibilita uma vivência aprofundada e rica do próprio corpo e ao mesmo tempo leva o indivíduo a ter contato com imagens e símbolos guardados dentro de si. Quando há a adesão do paciente, este processo pode auxiliar muito no tratamento, possibilitando a melhora de forma mais rápida.
 
• Respiração
 
Podemos passar frio, calor, ficarmos sem comer e até sem beber por alguns dias, mas só podemos ficar sem respirar por alguns segundos. A respiração é uma fonte importantíssima de energia para o indivíduo.

Sopro de vida é uma expressão bastante comum, os antigos diziam que a alma é soprada para dentro do homem no nascimento. E a primeira coisa que os bebês fazem quando nascem é respirar. Respiração é vida. Observe um bebê respirando, ele se utiliza de todo corpo, todas suas células participam desse movimento de troca com o mundo. Ele se enche de ar e esvazia ritmicamente.

Você já prestou atenção como os adultos respiram? É uma respiração quase que unicamente peitoral, o diafragma quase não participa e não percebemos o entra e sai do ar.

A yoga, o tai chi chuan e várias outras técnicas de reequilíbrio corpo/mente e harmonização com a natureza utilizam-se da respiração como sua principal ferramenta.

A aplicação de técnicas respiratórias auxilia na percepção do próprio corpo, acalma a mente, integra o indivíduo consigo mesmo e com o mundo. As técnicas de respiração proporcionam auto-conhecimento, centramento e relaxamento.

Na era da velocidade de informação e do estresse simplesmente respirar oferece um caminho para o bem estar e a paz interior.
 
• Grounding
 
O conceito de grounding foi criado por Alexander Lowen. Segundo ele o grounding é um processo energético em que um fluxo de excitação percorre todo o corpo da cabeça até os pés.

Lowen criou a postura de grounding em pé. O estar em pé proporciona ao cliente uma postura ativa e a possibilidade de contato com o solo e simbolicamente o contato com a realidade de sua vida. Esta postura promove vibrações corporais objetivando a eliminação de tensões crônicas através dos movimentos. Também proporciona a sensação de enraizamento, ou seja, o indivíduo através da prática passa a sentir-se plantado no chão, conectado com a realidade. O enraizamento causa o fortalecimento e sensação de segurança e confiança.

Pisar o chão e estar sobre os próprios pés está associado a sustentar sua vida, suas idéias, suas convicções e sonhos. Significa ter um lugar no mundo e buscar valores e metas cada vez mais elevadas.
 
Conseguir andar com as próprias pernas é o objetivo de qualquer psicoterapia e é também o objetivo do grounding que movimenta a energia, desbloqueia tensões e proporciona liberdade para o indivíduo. 

 
Clínica Ceres

Notícias e Artigos

Notícias e Artigos

Cadastre-se e receba as últimas novidades por email:

Copyright © 2010 - Clínica Ceres - Psicologia e Acupuntura - Todos os Direitos Reservados. site by Monndo.com