24 de março de 2010
Depressão e Ansiedade

 

Depressão

A depressão em síntese é uma síndrome que pode ser psicótica, ou não, onde o indivíduo vivencia um intenso sentimento moral de sofrimento, que se caracteriza pela lentificação e também pela inibição das funções psíquicas do ego (núcleo que emerge do nosso inconsciente sendo desenvolvido ao longo de nossa existência, é o centro do campo da consciência e a parte da nossa personalidade com a qual estamos identificados, sendo o sujeito da consciência lida com tempo, espaço, fornece a identidade e a noção de continuidade à personalidade, através da seleção do material que pode ser eliminado pela psique ou não. Para um ego tornar-se adulto precisa desenvolver características tais como adequação, independência e flexibilidade0.
 
Afeta, portanto, o pensamento, à vontade, o raciocínio, a memória, a atenção, a linguagem, o comportamento, etc. O indivíduo pode sofrer de humor deprimido, perde o interesse e o prazer, tem perda de energia, pessimismo, fica fatigado mesmo com a atividade diminuída.
 
Pode ter o sono perturbado, perda de apetite, idéias de culpa, auto-estima e autoconfiança em baixa e até idéias suicidas e autolesivas, dentre outros sintomas. Ela é fruto da cisão entre o eu-inferior (personalidade) e o eu-superior (SELF, ou alma é o núcleo central da totalidade e a própria vida na forma humana, abrange tudo o que é consciente e inconsciente, uma realidade que está acima do ego e contém tudo o que não foi experimentado e o que poderá sê-lo no futuro. O SELF, ou alma está para o centro da totalidade, assim como o eu está para a consciência), e o indivíduo sofrendo de depressão terá o canal de transmissão das energias positivas de crescimento do inconsciente prejudicados.
 
      O tratamento da depressão, além de requerer psicoterapia, pode necessitar de acompanhamento médico para indicação e acompanhamento na ingestão de medicamentos antidepressivos.
 
Ansiedade
 
A ansiedade é um estado desagradável de apreensão que surge pela suspeita ou pressentimento de um perigo eminente pela integridade do ego (núcleo que emerge do nosso inconsciente sendo desenvolvido ao longo de nossa existência, é o centro do campo da consciência e a parte da nossa personalidade com a qual estamos identificados, sendo o sujeito da consciência lida com tempo, espaço, fornece a identidade e a noção de continuidade à personalidade, através da seleção do material que pode ser eliminado pela psique ou não. Para um ego tornar-se adulto precisa desenvolver características tais como adequação, independência e flexibilidade), mas que não é compatível com a realidade objetiva.
 
É de origem neurótica e apresenta sentimentos contínuos de nervosismo, sudorese, tremores no corpo, sensação de cabeça leve, taquicardia, tensão muscular, tonturas e desconforto epigástrico, além de outros sintomas. Ao contrário do medo, sua resposta é vaga e prolongada, sem objetivo definido, provoca sentimentos de incerteza, impotência diante do perigo, insegurança. A ansiedade é o canal de descarga da angústia. A angústia é uma ansiedade com opressão, ela é a matéria prima da psicossomática(ciência que estuda a relação entre os fenômenos emocionais e mentais e o aparecimento de doenças no corpo físico).
 
Entende-se o resultado quando se observa a etimologia da palavra: do grego = angós, que quer dizer estreitamento ou do latim = angustia, que quer dizer espaço apertado, desfiladeiro. Curiosamente é na garganta que sentimos a angústia e a garganta é estreita, é onde sufoca, aperta, incomoda quando estamos angustiados. As pessoas relatam que quando angustiadas não conseguem ingerir alimentos sólidos ou líquidos porque a garganta “trava”.
 
Já o medo é diferente de fobia. Nele estão presentes a agitação de origem emocional que surge na presença de um perigo real ou pressentido, é uma reação com objeto definido imediata e não prolongada, já a fobia vem acompanhada de angústia e acontece após a experiência do medo por um conteúdo gravado no consciente ou inconsciente do indivíduo. A lembrança do conteúdo faz com que a pessoa reviva várias vezes a situação ou lembrança, que costumam vir acompanhados de muita angústia e ansiedade exagerada, em geral fora de proporção.
 

 Clínica Ceres

Notícias e Artigos

Notícias e Artigos

Cadastre-se e receba as últimas novidades por email:

Copyright © 2010 - Clínica Ceres - Psicologia e Acupuntura - Todos os Direitos Reservados. site by Monndo.com